terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Biografia de Xenócrates

Xenócrates
Xenócrates. (406 a.C. — 314 a.C.) foi um filósofo grego. Nascido na Calcedônia, Xenócrates tornou-se discípulo de Platão, a quem acompanhou à Sicília, sucedendo Speusipo, após o suicídio deste, na direção da Academia. Ali, sofreu influências de Pitágoras, mas esforçou-se para conciliá-las aos ensinamentos de seu mestre. Escreveu "O Tratado da Morte" e, aos 86 anos, para se manter coerente com suas idéias, suicidou-se, ingerindo veneno. Obteve estima e confiança até mesmo dos atenienses de sua idade. Tornou-se célebre por tentar unir a filosofia de Platão com a de Pitágoras.

Vida

Xenócrates era natural da Calcedônia. Pelo cálculo mais provável, ele nasceu em 396/5 a.C., e faleceu em 314/3 a.C. com a idade de 82anos. Indo para Atenas na juventude, tornou-se aluno de Ésquines Socrático, mas, posteriormente, juntou-se à Platão, a quem acompanhou à Sicília em 361. Após a morte de seu mestre, ele pagou uma visita com Aristóteles a Hérmias de Atarneu. Em 339/8 BC, Xenócrates sucedeu Speusipo na presidência da escola, derrotando seus competidores Menêdemo de Pirra e Heráclides do Ponto por poucos votos. Em três ocasiões foi membro de missão diplomática ateniense, uma vez para Filipe II da Macedônia, duas vezes para Antípatro. Xenócrates se ressentia da influência macedônica, então, dominante em Atenas. Logo após a morte de Demóstenes (c. 322 a.C.), recusou a cidadania oferecida à ele na instância de Phocion como uma recompensa por seus serviços em negociar a paz com Antípatro após a rebelião mal sucedida de Atenas. O acôrdo foi firmado "ao preço de uma mudança constitucional: milhares de pobres atenienses foram marginalizados," e Xenócrates disse "que ele não queria se tornar um cidadão dentro de uma constituição que ele tinha lutado para impedir". Sendo incapaz de pagar o imposto cobrado sobre estrangeiros residentes, ele disse ter sido salvo apenas pela coragem do orador Licurgo, ou, até mesmo, ter sido comprado por Demétrio de Faleros, e, em seguida, emancipado. Em 314/3, ele morreu ao bater a cabeça, após tropeçar num pote de bronze em sua casa. Xenócrates foi sucedido como escolarca por Polemo, a quem ele havia recuperado de uma vida de libertinagem. Além de Polemo, o estadista Phocion, Chaeron (tirano de Pellene), o acadêmico Crantor, o estoico Zenão e Epicuro são ditos terem frequentado suas palestras. Xenócrates aderiu à doutrina platônica, e é considerado o típico representante da Velha Academia. Seus escritos, que eram numerosos, parecem abranger quase todo o programa Acadêmico; mas metafísica e ética foram os assuntos que mais ocuparam seus pensamentos. Diz-se que fez a mais específica divisão da filosofia em três partes: Física, Dialética e Ética.

Referências

APSF

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.