domingo, 29 de novembro de 2015

Biografia de Vannevar Bush

Vannevar Bush
Vannevar Bush. Nasceu em Everett, Massachusetts, a 11 de Março de 1890, e, faleceu em Belmont, a 30 de Junho de 1974. Vannevar Bush foi um engenheiro, inventor e político estadunidense, conhecido pelo seu papel político no desenvolvimento da bomba atômica e pela ideia do memex — visto como um conceito pioneiro, precursor da world wide web. Bush foi uma figura de liderança no desenvolvimento do complexo militar-industrial. Foi grande responsável pelo financiamento militar em ciência nos Estados Unidos. Era um proeminente criador de políticas de incentivo e um intelectual público. Foi considerado como o santo patrono da ciência americana ("the patron saint of American science") durante a Segunda Guerra Mundial e o início da Guerra Fria. Durante sua carreira pública Bush foi um propulsor da tecnocracia democrática e da centralização de inovações tecnológicas em intersecções de segurança econômica e geopolítica.


Biografia


Nasceu a 11 de Março de 1890 em Everett, Massachusetts e estudou no Tufts College da Universidade de Harvard e no Instituto de Massachusetts de Tecnologia (MIT), onde mais tarde desempenhou diversos cargos docentes e administrativos. Tinha duas irmãs. Seu pai era ministro de Universalist. Quando criança, Bush estava frequentemente enfermo pelo que permanecia longos períodos de tempo prostrado na cama. Na escola demostrou grande aptidão para a matemática. Desde pequeno já era um alumo avantajado e em 1913 construiu uma máquina que servia para calcular distâncias entre terrenos desiguais a qual chamou de Profile Tracer. Em 1919, se une ao Departamento de Engenharia Elétrica do MIT, onde exerceu a docência durante 12 anos (no total esteve 25 anos como docente). Trabalhou em tarefas como a fabricação de dispositivos ópticos e composição fotográfica, de sistemas de armazenamento e recuperação de microfilmes. Em 1922 funda a companhia American Appliance Company com seus companheiros Tufts Laurence, K. Marshall e o cientista Charles G. Smith em Cambridge (Massachusetts), que posteriormente se tornaria na a Raytheon. Raytheon é, na atualidade, a principal contratada em termos de Defesa do Governo dos EUA. Entre os produtos que fabricam estão: visores infravermelhos, segurança cibernética, detectores de agentes químicos, ou tradutores de árabe para inglês. Cobraram uma grande importância na investigação de possíveis perigos após o 11 de Setembro como a detecção de possível radioatividade ou a imunidade ante ataques posteriores. Na década de 1930 construiu o primeiro computador analógico ao qual chamou de analisador diferencial. Se diferia dos digitais em que representam os números mediante tensões eléctricas de voltagem variável, e servia para realizar automaticamente algumas das operações elementares. Este invento teve repercussão em muitas áreas, especialmente na engenharia e na química. Em 1939 foi nomeado presidente do Carnegie Institute de Washington, e Diretor do National Advisory Committee for Aeronautics (NACA); em 1941 foi nomeado, pelo presidente dos EUA, diretor da Office of Scientific Research and Development, sendo chefe do Projeto Manhattan, uma comunidade de cientistas encarregados da criação da bomba atômica nas vésperas da Segunda Guerra Mundial. Em 1945 publica um artigo intitulado “As we may think” (Como poderíamos pensar) na revista Atlantic Monthly, onde descreveu, principalmente, a chegada de dois dispositivos. Em primeiro lugar, uma máquina pensante que era capaz de realizar certos cálculos; tarefa que atualmente é desenvolvida por simples calculadoras. Em segundo lugar, uma máquina que funcionava mediante o ditado e que era capaz de armazenar a informação de voz para representá-la de forma escrita. Hoje em dia existe software capaz de realizar isto. A última de suas realizações, e a qual mais influenciou no campo do hipertexto e da Internet para etapas posteriores, foi sem dúvida o Memex, un dispositivo mecânico de armazenamento de livros, gravações e comunicações, de pesquisa muito simples, rápida e não linear; o Memex nunca se desenvolveu, mas inspirou o trabalho de seus sucessores Douglas Engelbart, Ted Nelson e, mais adiante, Tim Berners Lee.


O analisador diferencial


O analisador diferencial era uma calculadora analógica que foi construída entre os anos de 1925 e 1931 no Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT), sob a direção de Vannevar Bush. Fisicamente era composta por amplificadores mecânicos, dos quais se encontravam por sua vez constituídos cada um deles por um disco de cristal e uma roda metálica, e desta forma o conjunto podia efetuar rotações por meio de motor elétrico. Existiam vários modelos diferentes destes aparelhos, incluindo de doze a dezoito integradores de roleta que por meio de suas conexões mediante trens de engrenagem, representavam cada um dos coeficientes de uma equação integral ou diferencial. Assim temos uma máquina capaz de realizar equações diferenciais de até 18 variáveis e foi concebida para a resolução de problemas nas redes elétricas. O analisador diferencial obteve um impacto midiático muito grande e, em 1935, iniciou-se a construção de uma segunda versão mais potente que veio à luz em 1942, e foi mantida em segredo. Basicamente consistia num aparato que se utilizava para o cálculo de tabelas de tiro para a Marinha dos EUA, que tentava resolver equações balísticas para as trajetórias dos projéteis. O analisador constava de uns 2.000 tubos eletrônicos, vários milhares de relés eletromagnéticos, e aproximadamente uns 320 quilômetros de cabo; no total pesava umas 200 toneladas.


Publicações

  • 1922, Principles of Electrical Engineering.
  • 1929, Operational Circuit Analysis.
  • 1945, July, "As We May Think", Atlantic Monthly.
  • 1946, Endless Horizons.
  • 1949, "Modern Arms and Free Men".
  • 1967, Science Is Not Enough.
  • 1970, "Pieces of the Action".

 

Memex


O Memex (amálgama de memory + index) foi uma máquina visionária imaginada para auxiliar a memória e guardar conhecimentos. O cientista americano Vannevar Bush anunciou-a em 1945, no célebre artigo intitulado As We May Think. A partir da ideia de que a soma dos conhecimentos aumentava em um ritmo prodigioso, e não encontrava contrapartida em relação à evolução dos meios de armazenamento e acesso aos dados. Observando o funcionamento da mente humana, segundo ele, operando sempre por meio de associações, Bush imaginou e descreveu de maneira detalhada uma máquina capaz de estocar montanhas de informação, para posterior e rápida recuperação. Tal engenho, concebido para suprir as "falhas da memória humana" através de recursos mecânicos, é considerado o precursor do conceito de hipertexto.


Trilhas Associativas


No modelo idealizado por Bush, diversas associações podem ser feitas à mesma palavra ou ideia. Informações disponíveis são aproximadas, formando trilhas de associação. A inspiração do processo seria a própria mente humana "pula de uma representação para outra ao longo de uma rede intrincada, desenha trilhas que se bifurcam, tece uma trama infinitamente mais complicada do que os bancos de dados de hoje ou os sistemas de informação de fichas perfuradas existentes em 1945". O Memex permitiria ao leitor acrescentar notas e comentários pessoais ao texto. Esse modelo serviu de base para a criação do Co-link, programa que permite que qualquer usuário anexe caminhos diferentes em um mesmo link. Cada vez que o usuário clicasse em uma palavra de seu interesse, todos os assuntos referentes à esse tema que foram acrescidos por terceiros apareceriam lhe em uma lista. Só então o usuário decidiria qual das abordagens para o mesmo assunto lhe interessava. Assim, uma imensa rede de armazenamento se cria em volta de palavras-chave.


Referências


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.