terça-feira, 3 de novembro de 2015

Biografia de James Cook

James Cook, por Nathaniel Dance-Holland.
James Cook. Nasceu em Marton, a 27 de Outubro de 1728, e, faleceu em Kealakekua, a 14 de Fevereiro de 1779. James Cook foi um explorador, navegador e cartógrafo inglês tendo depois alçado a patente de O capitão na Marinha Real Britânica. Cook foi o primeiro a mapear Terra Nova antes de fazer três viagens para o Oceano Pacífico durante a qual ele conseguiu o primeiro contacto europeu com a costa leste da Austrália e o Arquipélago do Havaí, bem como a primeira circunavegação registrada da Nova Zelândia. James Cook entrou na marinha mercante britânica quando era adolescente e ingressou na Marinha Real em 1755. Ele participou da Guerra dos Sete Anos, e posteriormente estudou e mapeou grande parte da entrada do Rio São Lourenço durante o cerco de Quebec. Isso permitiu que General Wolfe fizesse o seu famoso ataque nas Planícies de Abraão, e ajudou a levar Cook à atenção da Admiralty e Royal Society. Esta notícia veio em um momento crucial, tanto na sua carreira pessoal e na direção das explorações ultramarinhas britânicas, e levou o seu cargo em 1766 como comandante da HM Bark Endeavour para a primeira das três viagens do Pacífico. Cook cartografou muitas áreas e registrou várias ilhas e zonas costeiras nos mapas europeus pela primeira vez. Seus resultados podem ser atribuídos a uma combinação de navegação, superior levantamento cartográfico e competências, a coragem em explorar locais perigosos para confirmar os factos (por exemplo, a imersão no Círculo Polar Antártico repetidamente e explorar ao redor da Grande Barreira de Coral), uma capacidade de conduzir os homens em condições adversas, e ousadia, tanto em relação à medida da sua exploração e sua vontade de ultrapassar as instruções dadas a ele pelo Admiralty. No seu livro "Colapso" (2005), o biólogo e biogeógrafo Jared Diamond (E.U.A) cita um registro feito por Cook em que o capitão descreve uma breve visita à ilha de Páscoa, em 1744. "Pequenos, magros, tímidos e miseráveis", foi como Cook descreveu os insulares, que já enfrentavam um forte problema ambiental. Cook morreu na baía havaiana de Kealakekua em 1779, em uma luta com os nativos durante a sua terceira viagem exploratória na região do Pacífico. A casa de Cook na Inglaterra é hoje um memorial. Cook é considerado o Pai da Oceania. Foi agraciado com a Medalha Copley em 1776.

Primeiros anos

James Cook nasceu na vila de Marton em Yorkshire, hoje pertencente a um subúrbio da cidade de Middlesbrough. Cook foi baptizado na igreja local de St. Cuthbert's, em cujo registro pode-se hoje ver o seu nome. Cook foi o segundo dos oito filhos de James Cook, um trabalhador de fazenda escocês, e sua esposa natural do local Grace Pace de Thornaby-on-Tees. Em 1736, a sua família mudou para a fazenda Airey Holme em Great Ayton, onde o patrão do seu pai, Thomas Skottowe pagou para ele frequentar a escola local (agora um museu). Em 1741, após 5 anos de escolaridade, ele começou a trabalhar para o seu pai, que havia sido promovido a gerente de fazenda. Para lazer iria subir uma colina, Roseberry Topping, aproveitando a oportunidade para a solidão. Cook's Cottage. a última casa de seus pais, que parece que ele visitou, está agora em Melbourne, tendo sido transferida a partir da Inglaterra e reagrupados tijolo por tijolo em 1934. Em 1745, aos 16 anos, Cook mudou-se em 32 km para a aldeia piscatória de Staithes para ser aprendiz de vendedor em uma mercearia de William Sanderson. Historiadores têm especulado que foi ali onde Cook sentiu a primeira atração do mar, enquanto olhava para fora da vitrine. Após 18 meses, não tendo sido aprovado para o trabalho de loja, Cook viajou para a vizinha cidade portuária de Whitby para ser apresentado a uns amigos de Sanderson, Henry e John Walker. Os Walkers eram proeminentes armadores locais e Quakers, e estavam no comércio de carvão. Cook foi aprendiz em sua pequena frota de navios que operavam no transporte de carvão ao longo da costa inglesa. A sua primeira missão foi a bordo do cargueiro Freelove, e ele passou vários anos nesta rota de cabotagem bem como em várias outras entre o rio Tyne e Londres. Como parte dessa aprendizagem, Cook aplicou-se ao estudo de álgebra, geometria, trigonometria, navegação e astronomia, todas as competências que seriam necessárias no futuro para comandar um navio próprio. Após seus três anos de aprendizagem concluídos, Cook começou a trabalhar no comércio naval no Mar Báltico. Ele rapidamente progrediu através das fileiras da marinha mercante, começando com a sua promoção em 1752 a Mate (funcionário encarregado de navegação) a bordo do Collier cargueiro Amizade. Em 1755, dentro de um mês, ao lhe ser oferecido o comando deste navio, voluntaria-se para a marinha e é recrutado para o que viria a ser a Guerra dos Sete Anos. Apesar da necessidade de reiniciar na parte inferior da hierarquia naval, Cook iria avançar mais rapidamente sua carreira em serviço militar, e entrou na Marinha em Wapping em 7 de Junho de 1755.

Viagens e expedições

Em 1768, no navio HMS Endeavour, Cook foi o comandante escolhido para levar os membros da Royal Society ao Taiti, para observar o trânsito de Vênus, na primeira expedição científica pelo Pacífico. O astrônomo encarregado da observação do evento, Charles Green, faleceu durante a viagem, quando o navio passava por Batávia (antigo nome de Jacarta, capital da Indonésia). Cook esteve em Novembro de 1768 no Rio de Janeiro, mas os tripulantes não receberam permissão para aportar, ficando reclusos nas embarcações e sob vigia das autoridades portuguesas. O famoso naturalista Joseph Banks, que participava da expedição, teve momentos fortuitos e conseguiu recolher 320 espécies vegetais nos arredores da cidade, segundo o livro de John Hawkesworth, "An account of the voyages undertaken by the order of his Present Majesty for Making Discoveries", Londres 1773. As autoridades locais negavam a permanência de estrangeiros na colônia e o francês Louis Antoine de Bougainville enfrentou obstáculos semelhantes quando visitou o Rio de Janeiro.

O Resolution e a circunavegação

Cook sendo apunhalado no fim do Makahiki.
Após o sucesso da expedição científica, Cook prosseguiu com objetivos de exploração. Durante a viagem, descobre o arquipélago que batiza de Ilhas Sociedade, na Polinésia Francesa, e mapeia toda a Nova Zelândia. No regresso, descobre a costa ocidental da Austrália. Em 1772, Cook parte para nova circunavegação ao comando das naus Resolution e Adventure. Durante esta viagem chega à mais baixa latitude ao sul alcançada até então (70°10''S), cruzando pela primeira vez o Círculo Polar Antártico. Esta viagem resultou na descoberta das Ilhas Cook. Em 1776, com os navios Resolution e Discovery, Cook parte para a missão que seria a sua última e descobre o arquipélago do Havaí, que chama de Sandwich. Costeia a América e atravessa o estreito de Bering, chegando ao Ártico. No regresso ao Havaí, é morto pelos nativos ao voltar a Kealakekua para consertar o mastro do Resolution. Cook ficou conhecido pela preocupação com a saúde e a alimentação de sua tripulação. Em sua primeira viagem, nenhum membro da tripulação morre de escorbuto, doença causada pela falta de ácido ascórbico (vitamina C) no organismo e responsável pela morte de muitos marinheiros até o século XVIII. "A ambição me leva a ir não só mais longe do que qualquer outro homem antes de mim já foi, mas até tão longe quanto creio ser possível a um homem ir". - O diário do comandante James Cook.

Referências

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.