quinta-feira, 14 de maio de 2015

Biografia de Dídimo Calcenteros

(?)
Dídimo Calcenteros ou Dídimo de Alexandria (em grego: Δίδυμος χαλκέντερος; cerca de 63 a.C. — 10 d.C.) foi um erudito e gramático grego que viveu em Alexandria. Este sábio alexandrino, de prolífica produção, floresceu ao tempo de Cícero e Octávio Augusto. Para ele, todas as características da gramática grega poderiam ser encontradas facilmente em latim.

Vida

Junto a outros quatro gramáticos de Alexandria, nomeadamente Aristonicos, Seleucos e Filoxenos, dedicou-se Dídimo ao estudo dos textos de Homero. Dídimo é descrito pelo Suda (localização: Delta 872, segundo Ada Adler) como sendo um gramático da escola de Aristarco de Samotrácia, tendo vivido no tempo de Marco Antônio, Cícero até Augusto. No Suda é dito ainda que ele foi chamado de "Calcenteros" (grego: Χαλκέντερος) ou "intestino de bronze" por causa de sua infatigável aplicação no que diz respeito aos livros. Diz-se que ele escreveu mais de 3.500 livros.

Escola

Pertenceu à escola fundada por Aristarco de Samotrácia em Alexandria, na qual também ensinou. Apelidado Chalkenteros ("intestinos de bronze") e Bibliolathas ("Olvidalivros"), este último pelas contradições ocasionais devido ao esquecimento do que havia dito em obras anteriores. Sua importância para a história da literatura reside principalmente na compilação que realizou das obras críticas e exegéticas de eruditos anteriores. Mais que um pesquisador original, foi um editor de diversos temas e um transmissor de conhecimentos que, não fosse por ele, teriam se perdido. Alguns escritores posteriores o criticaram, por exemplo, Valerius Harpocration. Erudito incansável e de grandes conhecimentos, diz-se que escreveu entre 3.500 a 4.000 obras.

Obras

1- Realizou um estudo da recensão que Aristarco fez do texto homérico, comparando distintas cópias e analisando os comentários e tratados especializados daquele. Suas conclusões, Demóstenes, Hipérides e Dinarco.
2- Grande parte do material mais antigo que aparece entre os escólios sobre Píndaro, Sófocles, Eurípides e Aristófanes vem no  último término de Dídimo.
3- Lexicografia: Léxeis tragikaí e Léxeis kōmikaí ("expressões trágicas" e "expressões cômicas"). Ambas coleções se tornaram fonte de grande valor para os escoliastas, por exemplo, Hesíquio de Alexandria. Sobre expressões corruptas, Sobre expressões de significado duvidoso, Expressões metafóricas e Sobre os provérbios, fonte principal das obras dos paremiógrafos que têm chegado em nossas mãos.
4- Gramática: Sobre ortografia, Sobre a analogia entre os romanos e Sobre a flexão.
5- Literatura e antiguidades: Sobre os poetas líricos, Xénē historia (sobre mitos e lendas), Miscelânea de poemas simposíacos (Symmikta symposiaka), Sobre os axônios de Sólon, obras sobre a morte de Eneas, o local de nascimento de Homero, etc., e uma polêmica contra Cícero, República, que foi contestada por Suetônio (Gaius Suetonius Tranquillus). Embora esta última pode pertencer a seu homônimo Cláudio Dídimo.

Referências

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.