domingo, 12 de abril de 2015

Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo (Brasil)


Visão frontal da Igreja de São Miguel Arcanjo. (Imagem: Fernando H. Kreutz).
O Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo é um conjunto de ruínas da antiga redução de São Miguel Arcanjo, integrante dos chamados Sete Povos das Missões. É um dos principais vestígios do período das Missões Jesuíticas dos Guarani em todo o mundo, localizado no pequeno município de São Miguel das Missões, no Noroeste do Rio Grande do Sul, Brasil. A partir do dia 11 de Agosto de 2014 o sítio começou a receber visitantes de terças-feiras a domingos, fechando nas segundas-feiras para manutenção. O sítio, comumente chamado de “Ruínas de São Miguel das Missões”, foi declarado Patrimônio Mundial pelo UNESCO, juntamente com as ruínas no lado argentino de San Ignacio Miní, Santa Ana, Nossa Senhora de Loreto e Santa María Mayor, desde 1983. A construção foi edificada no século XVIII, entre 1735 e 1745. A Igreja foi projetada pelo padre italiano João Batista Primolli e construída inteiramente em pedre grês. Não foi finalizada, pois faltou ser construída a segunda torre, que seria o observatório astronômico. O lugar é visitado por turistas de todo mundo, especialmente da Argentina, Paraguai, Uruguai e país É um dos principais vestígios do período das Missões Jesuíticas dos Guarani es da Europa. O sítio faz parte do roteiro internacional Iguassu-Missiones. “A Missão”, um filme de 1986 estrelado por Robert De Niro e Jeremy Irons, tem como locação principal uma recriação da redução de São Miguel de Arcanjo. No sítio está também o Museu das Missões, que guarda uma importante coleção de esculturas sacras dos Sete Povos, em sua maioria de madeira policromada.


Galeria de Imagens
Ruínas de São Miguel das Missões, Rio Grande do Sul - Brasil.

Torre dos Sinos. (Imagem:
Fernando H. Kreutz).

O sitio arqueológico de São Miguel Arcanjo, na cidade de São Miguel das Missões, RS, Brasil. Author: Leandro Kibisz

Detalhe arquitetônico da Igreja (próximo a torre dos sinos). (Imagem:
Fernando H. Kreutz).

Vista do interior da Igreja das ruínas de São Miguel Arcanjo. (Imagem: Fernando H. Kreutz).

Vista do local da missão. (Imagem: Renato A. Costa).







João Batista Primolli



João Batista Primoli (Gian Battista Primoli) foi um sacerdote jesuíta e arquiteto italiano. Nasceu em Milão em 10 de Outubro de 1673 e faleceu na redução de Candelária, Rio Grande do Sul, em 11 de Setembro de 1747. Segundo Athos Damasceno Ferreira (1902-1975) ele foi o mais importante arquiteto das missões hispano-americanas, sendo tido como autor da igreja de São Miguel, hoje a maior relíquia missioneira em terras do Brasil, e declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Também consta ter sido o autor do edifício do colégio anexo àquela igreja, e sua presença é assinalada em diversas outras reduções da região e mesmo em Buenos Aires e Córdoba, na Argentina. Foi ainda autor da igreja da redução de Trinidad e de Concepción, e de outras mais. Sua atuação foi louvada por seu confrade o Padre Carlos Gervasioni, em carta de 9 de Julho de 1729, nos seguintes termos: “Este é um irmão incomparável, infatigável. Ele é o arquiteto, o mestre, o pedreiro da obra. (...) Este irmão construiu a Catedral de Córdoba, no Tucumán, a nossa igreja daquele colégio, a dos Padres Reformados de São Francisco aqui em Buenos Aires, a dos Padres da Mercê, que é maior e mais majestosa que a nossa; e anda sempre ocupado aqui e acolá, a ver, a examinar, a levantar planos...”.





Museu das Missões



Museu das Missões (Endereço: Rua São Nicolau, S/Nº – São Miguel das Missões – RS. Tel: (55) 3381-1291 Email: museu.missoes@museus.gov.br Horários: Todos os dias, das 9h às 12h e das 14h às 18h * Durante o horário de verão, o museu fica aberto até as 20h).
O Museu das Missões é um museu brasileiro, localizado na cidade de São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul. A criação do museu foi uma das primeiras iniciativas do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, hoje IPHAN. Em 1937 foi criado o SPHAN e, no mesmo ano, o arquiteto Lucio Costa foi enviado ao Rio Grande do Sul para analisar os remanescentes dos Sete Povos das Missões e propor providências. Uma de suas propostas foi criar um museu para abrigar a estatuária missioneira dispersa pela região. Em 1938, os remanescentes do povoado de São Miguel e o prédio do museu foram tombados como Patrimônio Nacional e, em 1940, o Museu das Missões foi oficialmente criado. Entre 1938 e 1940, o arquiteto Lucas Mayerhofer dirigiu as obras de estabilização na Igreja de São Miguel, a construção do prédio do museu e o ficou encarregado do recolhimento das obras de estatuária. Atualmente constam do acervo do museu imagens sacras da época da instalação das missões jesuíticas na região.

Veja mais imagens nos links abaixo:



Referências




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.