domingo, 19 de outubro de 2014

Biografia de Maurice Utrillo


Maurice Utrillo. Nascido Maurice Valadon, em Paris, a 26 de Dezembro de 1883, e, faleceu em Dax, a 5 de Novembro de 1955. Maurice Utrillo foi um pintor francês. Pintor francês do início do século XX, na chamada Escola de Paris, que é o nome com o qual se engloba o grupo de pintores que se reuniram em Paris no período que transcorre entre as duas guerras mundiais. Estes eram, na maioria, estrangeiros e não aderiram à nenhuma escola renovadora em particular, mas, nem tampouco, as desconheciam, mas, pelo contrário, tiravam delas suas maiores realizações. Sua pintura permaneceu em alguns aspectos dentro da representação realista tradicional, mas adotando maior liberdade no uso da forma e das cores. Dentro deste grupo, é onde se molda Maurice Utrillo com Marc Chagall e Amedeo Modigliani, dentre seus maiores expoentes. Utrillo, pode ser considerado uma das grandes figuras da pintura do século passado.

Biografia

Túmulo de Utrillo. (Imagem: Airair).
Filho da pintora Suzanne Valadon (que foi modelo de Renoir antes de ser uma pintora reconhecida e deixar de posar para outros), foi legalmente reconhecido e adotado por Miguel Utrillo (engenheiro que abandonou tudo pela sua vocação artística e que mais tarde dirigiu em Barcelona a construção de Povo Espanhol para a Exposição Universal de 1929). Utrillo, um homem atormentado pelo álcool e pelo gosto da vida noturna, foi orientado pela sua mãe para a pintura. Com ela, e com o qual mais tarde foi o seu marido, André Utter - também pintor -, formaram a chamada Trinité maudite, grupo familiar famoso por suas excentricidades e por sua vida desordenada e auto-destrutiva. (Tornou-se alcoólatra desde os 16 anos tendo sido frequente paciente de clínicas de desintoxicação nesse período. Aprendeu a desenhar e a pintar com sua própria mãe e a partir de 1903 dedicou-se inteiramente à arte. Fez parte da excepcional colônia de artistas que se reuniam em Paris no início do século XX; foi companheiro de festas e cafés de Modigliani entre outros artistas. Em Paris, havia dois grupos rivais: o grupo de Pablo Picasso e o grupo de Henri Matisse. Poucos ficaram fora da influência destas duas personalidades, e, entre estes, pode-se mencionar três artistas que compartilhavam a rejeição destes grupos e vários manifestos (Filippo Tommaso Marinetti com o futurismo...), a marginalidade e uma vida trágica: Maurice Utrillo, Chaïm Soutine e Amedeo Modigliani. Utrillo é considerado como o pintor de Montmartre por excelência. Teve uma prolixa obra que no seu tempo foi muito pouco valorizada, até o ponto que seus quadros posteriormente considerados obras de mestre, apenas lhe garantiram a sobrevivência. A tal ponto chega a sua influência (como o de toda esta geração que trocou a concepção da arte e a estética para sempre) que seu trabalho serviu de inspiração em Hollywood para a realização dos filmes como Um Americano em Paris, ganhador do aplauso do público e da crítica com vários prêmios da Academia. Utrillo está sepultado no Cemitério Saint-Vincent de Montmartre. Pintou numerosas vistas de Montmartre e do subúrbio parisiense. Seu estilo tornou-se pessoal, ao mesmo tempo ingênuo e refinado, com a fecunda “fase branca”(c. 1909-1915), caracterizada por uma amarga melancolia na interpretação dos locais de Montmartre. Chegou à celebridade, mas, a partir de 1923, foi enclausurado pela família, que temia seu comportamento de bêbado. Utrillo dedicou-se, então, a uma intensa produção, sobretudo de cartões-postais. Casou-se em 1935, deixou a bebida, tornou-se muito religioso e viveu seus últimos anos em grande depressão.

Obras

  • Mont Saint Michel.
  • Le Moulin de la Galette, en el San Francisco Art Museum de San Francisco.
  • Rue Custine a Monmartre, en el Hermitage en San Petersburgo en Rusia.
  • Lapin agile, en la Arthur Ross Gallery, University of Pennsylvania
  • Sacré Coeur.
  • La Maison rouge.

Em suas obras, pode-se apreciar obras pintadas pela influência das diferentes correntes artísticas, e também do cubismo, pinturas onde retrata Paris, mas também aldeias e paisagens tipicamente rurais, castelos ou catedrais.

Musée Utrillo-Valadon à Sannois. (Imagem: Spedona).


Bibliografia

Utrillo, sa vie, son oeuvre, Jean Fabris, Claude Wiart, Alain Buquet, Jean-Pierre Thiollet, Jacques Birr, Catherine Banlin-Lacroix, Joseph Foret, Editions Frédéric Birr, Paris, 1982

Referências


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.