sábado, 17 de maio de 2014

Sorbonne


Sorbonne (imagem: Maggie D'Urban).
Sorbonne é um sítio histórico situado no Quartier latin de Paris. Seu nome é alusivo ao teólogo do século XIII Robert Sorbon, fundador do Colégio de Sorbonne em 1297, que à época era dedicado ao ensino de teologia. Robert de Sorbon vinha a ser o capelão da Casa Real e confessor de Luís IX, rei da França, canonizado como São Luís da França. O nome Sorbonne designa, em linguagem corrente, a antiga Universidade de Paris (antes de 1793), bem como as faculdades que ali se estabeleceram no século XIX e a nova Universidade de Paris, correspondente ao período de 1896 a 1971. A fachada barroca é a da capela dedicada a Santa Úrsula, em 1642. Após a Revolução Francesa (1789-1799), a capela perdeu sua função original e, atualmente, é utilizada para recepções e exposições. Em 1970, como parte da reação governamental aos movimentos de Maio de 1968, a Universidade de Paris foi dividida em treze universidades autônomas, mantidas com recursos públicos. Quatro dessas universidades públicas passaram a compartilhar o nome de Sorbonne e estão parcialmente instaladas no sítio histórico da rue des Écoles, no V arrondissement, na área central de Paris.

  • Universidade de Paris I (Panthéon-Sorbonne), que também inclui o antigo Observatório da Sorbonne.
  • Universidade de Paris III (Sorbonne Nouvelle)
  • Universidade de Paris IV (Paris-Sorbonne)
  • Universidade de Paris V (Paris Descartes), que tem uma de suas unidades (a Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - Sorbonne) instalada no prédio.

O mesmo sítio abriga também a reitoria da Academia de Paris, a École des chartes, a École pratique des hautes études, os Cursos de Civilização Francesa da Sorbonne e a Biblioteca interuniversitária da Sorbonne. Em frente, estão o Lycée Louis-Le-Grand (escola secundária) e o Collège de France. Também, nas proximidades encontram-se o Pantheón e o Jardim do Luxemburgo, onde se encontra o senado francês.

História

Robert Sorbon
Sorbonne foi fundada como colégio integrante da Universidade de Paris, em 1257, por Robert Sorbon, capelão e confessor do rei São Luís, com a intenção de facilitar o ensino da teologia para estudantes pobres. Paris tornava-se então um centro cultural e científico na Europa, com mais de 20 000 estudantes. Três séculos depois, converteu-se em lugar privilegiado para a realização de debates teológicos e teve um papel importante nas querelas religiosas contra os jesuítas, no século XVI, e contra os jansenistas, no século XVII. Já no século XVI, por ser a faculdade mais importante, a Sorbonne era considerada como o núcleo principal da Universidade. Sorbonne e Universidade de Paris passaram a ser sinônimos. Em 1622, o cardeal de Richelieu, que havia sido aluno da Sorbonne em 1606-1607, torna-se o seu provedor e, em 1627, promove a renovação dos edifícios, além de construir a magnífica capela de Santa Úrsula. A localização atual data dessa época. Posteriormente, os edifícios construídos por Richelieu foram demolidos, com exceção da capela, onde está seu túmulo. A nova construção forma um retângulo de 21.000 metros quadrados, três vezes maior que a Sorbonne erguida pelo cardeal. Sob a Revolução Francesa, os prédios foram fechados aos estudantes, em 1791. Em 1794, a capela é transformada em templo da deusa da Razão. Napoleão Bonaparte transforma o local em ateliês de artistas. A partir de 1806, Napoleão reorganiza o sistema de ensino francês e cria em Paris as faculdades de Ciências, Letras, Teologia, Direito e Medicina. A Sorbonne torna-se sede das três primeiras bem como da reitoria da Academia de Paris. Atualmente, suas salas, reconstituídas em sua totalidade entre 1885 e 1901, são destinadas sobretudo ao ensino de Humanidades - História, Geografia, Filosofia, Direito e Línguas. No século XV, o humanista português André de Gouveia ocupou o cargo de reitor da Universidade.

Personagens célebres que frequentaram a Sorbonne

A Universidade de Paris, ou Sorbonne, teve um de seus alunos, ex-alunos ou professores laureados pelo Nobel em 47 oportunidades*.

  • São Tomás de Aquino, padre dominicano e teólogo
  • Josué de Castro, cientista
  • Celso Furtado , Escritor, economista, historiador.
  • Attilio Corrêa Lima arquiteto, urbanista e paisagista
  • Agostinho da Silva , filósofo
  • Jean-Jacques Ampère, físico
  • Theo Angelopoulos, cineasta
  • Raymond Aron, filósofo
  • Zaki al Arzouzi, político
  • Honoré de Balzac, escritor francês
  • François Victor Alphonse Aulard
  • Joaquin Balaguer
  • Georges Bataille, escritor
  • Henri Bergson, filósofo
  • Claude Bernard, biólogo
  • Salah al-Din al-Bitar, político
  • Boileau, poeta
  • Ferdinand Buisson, prêmio Nobel da paz
  • Jean Calvin, teólogo
  • Roch Carrier, romancista
  • André Chamson, escritor
  • André Chastel, historiador
  • Adrienne Clarkson, política
  • Pierre de Coubertin
  • Victor Cousin, filósofo
  • Marie Curie, física
  • Pierre Curie, físico
  • Simone de Beauvoir, escritora
  • Jean Philibert Damiron
  • Raymond Duchamp-Villon
  • Erasme, teólogo
  • Claude Charles Fauriel
  • Jacques Derrida, filósofo
  • Jean Favier, historiador
  • Moshe Feldenkrais
  • Lawrence Ferlinghetti
  • Gautier de Châtillon
  • Nicolas Eugène Géruzez
  • Jean-Luc Godard, cineasta
  • Petar Guberina
  • François Guizot
  • René Gutman
  • Abimael Guzmán
  • Francis Seymour Haden
  • Gabriel Hanotaux
  • John F. Hasey
  • Mahmoud Hessaby
  • Ignácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus
  • Pierre Favre, co-fundador Companhia de Jesus
  • Francisco Xavier, co-fundador da Companhia de Jesus
  • Vilayat Inayat Khan
  • Paul Janet
  • Frédéric Joliot, físico
  • Irène Joliot-Curie, física
  • Alberto Jori, filósofo
  • Michel Journiac, artista
  • Venceslas Kruta
  • Benny Lévy, filósofo e escritor
  • Camille Le Tellier de Louvois
  • Norman Mailer, escritor
  • Roger Martin du Gard, escritor
  • François Mauriac, escritor
  • Marsile de Padoue, teólogo
  • Juremir Machado da Silva, escritor
  • Gaston Paris
  • Henri Poincaré, matemático e físico
  • Pol Pot ditador
  • André Morellet
  • Peter Martin Ngo-Dinh-Thuc
  • Mikhail Vasilievich Ostrogradsky
  • Pierre de Blois
  • Alexandre V, antipapa
  • Elia Ravelomanantsoa
  • Jorge Coli, historiador brasileiro
  • Pauline Réage
  • Vera Maria Rosenberg
  • Gustave Roussy, neurologista
  • Pierre Paul Royer-Collard
  • Maximilien Rubel
  • Adrian Ruchwald
  • Ibrahim Rugova
  • Émile Saisset
  • Jean-Paul Sartre, filósofo e escritor
  • Claude Lévi-Strauss, Antropólogo
  • Jean-Pierre Serre
  • Ali Shariati
  • Emmanuel Joseph Sieyès
  • Jorge Semprún escritor
  • Oswaldo Penna Júnior, jurista brasileiro
  • Miguel Wernicke Coimbra, advogado, filósofo e teólogo
  • Pierre Teilhard de Chardin, geólogo, filósofo e teólogo
  • Pierre Elliott Trudeau, político
  • Marina Tsvetaeva
  • Anne Robert Jacques Turgot, barão de Laune
  • John Napier Turner
  • Étienne Vacherot
  • Jacques Vergès, advogado
  • Sérgio Vieira de Mello, diplomata
  • Pierre Vidal-Naquet, historiador
  • Abel-François Villemain
  • Sam Waterston
  • Elie Wiesel prêmio Nobel da paz, escritor e professor de literatura
  • Joseph Ratzinger, Papa Bento XVI
  • Michel Moine
  • Mário de Sá-Carneiro, poeta
  • Ibrahim Sued
  • André Leroi-Gourhan, arqueólogo
  • Raymond Queneau, escritor
  • Antoine Philippe, jurista
  • Paulo Evaristo Arns, cardeal
  • Pedro Américo, pintor, romancista e poeta brasileiro
  • Fernando Henrique Cardoso, 34.º presidente do Brasil
  • Luiz Mott, antropólogo e ativista decano do Movimento Homossexual Brasileiro
  • Jean Piaget
  • Maurice Merleau-Ponty
  • Lygia Clark, artista plástica brasileira

Contando a Universidade antes de 1968, e depois dessa data, quando ela foi dividida em 13 sub-universidades.

Referências

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.