sábado, 24 de maio de 2014

Biografia de Diotima de Mantinea (filósofa)


Imagem de Biografias&Curiosidades.
Diotima de Mantinea. (em grego antigo: Διοτίμα) foi uma filósofa e sacerdotisa grega com um papel importante no Banquete (Symposion) de Platão. Suas idéias são a origem do amor platônico, apesar de (Itudo, não desdenha a importância da beleza. A filosofia de Diotima está na origem do conceito platônico de amor. A única fonte sobre ela é o próprio Platão e por isso não é possível assegurar se era uma personagem ou alguém que de fato tenha existido. Entretanto, praticamente todos os personagens dos diálogos platônicos corresponderam a pessoas que viviam na antiga Atenas. Na obra, há uma passagem sobre o significado do amor. Sócrates é o mais importante dentre os homens presentes. Ele diz que na juventude foi iniciado na filosofia do amor por Diotima, que era uma sacerdotisa. Diotima lhe ensinou a genealogia do amor e por isso as idéias de Diotima estão na origem do conceito socrático-platônico do amor. Segundo Joseph Campbell, "não é por acaso que Sócrates nomeia Diotima como aquela que lhe deu as instruções e os métodos mais significativos para amar/falar. A palavra falada por amor é uma palavra que vem das origens".



Personalidade



No Banquete, uma série de homens discutem sobre o significado do amor, dentre os quais Sócrates é o orador mais importante. Ele diz que na sua juventude aprendeu a "Filosofia do Amor" de Diotima, que era uma sacerdotisa ou vidente. Sócrates diz também que Diotima prescreveu sacrifícios mediante aos que se libraram com êxito da praga que assolava "Atenas" por 10 anos. Diotima da à Sócrates uma genealogia do amor, dizendo que ele é filho da Circunstância e da Necessidade. Na sua visão, o amor não é delicado, porém, rude e mesquinho. O menino amado é delicado, mas o velho amante que busca o jovem é mesquinho e falso. Sobre o amor, a mais importante tese de Diotima é que, na realidade, este é um desejo pela imortalidade. Ela diz que temos um desejo de fama eterna; apenas o sábio reconhece a diferença entre a procriação física e a espiritual. Existem dois tipos de amor: o físico o o espiritual. Enquanto o amor físico trata de preservar a pessoa e alcançar a imortalidade através da descendência, o amor espiritual dá a luz às idéias e pensamentos, que em si, são imortais. Afinal, o amor é ajudarmos a promover o conhecimento do divino.



Referências



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.