quinta-feira, 8 de maio de 2014

Biografia de Bernard Palissy


Bernard Palissy
Bernard Palissy. Nasceu em Lacapelle-Biron, 1510, e faleceu na Bastilha, Paris, em 1590. Bernard Palissy foi um célebre ceramista francês. Apesar de não ter uma educação formal, teve muitos interesses e desenvolveu muitas habilidades; se desempenhou como pintor sobre vidro, oleiro, ourives, agrimensor, paisagista, químico, biólogo e escritor. É famoso, sobretudo, por haver conseguido depois de 16 anos de tentativas frustradas, uma louça esmaltada semelhante à porcelana chinesa. Também é conhecido pela sua defesa do ideal calvinista, numa época marcada pelas guerras da religião. Participou ativamente na fundação da Igreja Reformada (protestante) de Saintes. Incorpora na França o modelo do gênio universal do Renascimento.




Biografia



Jarra realizada por Palissy. (Imagem: commons.wikimedia.org/wiki/File:Palissy).

Nascido no seio de uma humilde família de artesãos próximo da cidade de Agen, aprendeu o ofício de ceramista. Para aperfeiçoar e completar seus conhecimentos, realizou viagens pela França por vários anos, como era de costume pelos artesãos qualificados. Numa data indeterminada, muda-se para Saintes, na província de Saintonge (atual Charente Maritime), onde ganha o seu sustento alternando sua profissão de vidraceiro com a de ceramista e de agrimensor, e empreende sua investigação sobre os esmaltes. Casou-se por volta de 1540. Em 1543, os comissários do Rei chegam à região, então a principal produtora salineira da França, para estabelecer o imposto conhecido como gabelle. Foi-lhe encarregado no ano seguinte o mapeamento detalhado das salinas de Saintonge, um trabalho que daria lugar mais tarde à publicação de um estudo sobre a salicultura local. O dinheiro...
 
"Fuente rústica" de Bernard Palissy (museu do Louvre). (imagem: Sailko).
... ganho graças ao seu trabalho como agrimensor lhe permite dedicar-se por completo aos seus experimentos como ceramista, levando-lhe à vários anos de ruína econômica. Depois de grandes dificuldades, Bernard Palissy conseguiu descobrir em 1556 a técnica de fabricação de alguns esmaltes brancos brilhantes e resistentes, base dos esmaltes policromados cujo segredo conheciam os ceramistas chineses. Os ceramistas italianos já dominavam esta técnica parecida à maiólica (ou majólica é o nome dado à faiança italiana do Renascimento, inspirada a princípio na tradição hispano-mourisca. O termo, provavelmente advindo da ilha de Maiorca no Mar Mediterrâneo, também designa as primitivas faianças européias executadas segundo a tradição italiana), mas guardavam cuidadosamente a sua fórmula. A partir do esmalte branco, Palissy
Estátua em frente do Museu Nacional de Cerâmica de 
Sèvres (imagem: Siren-Com).
conseguiu, finalmente, que os diversos coloridos esmaltados se fundam à mesma temperatura. A produção cerâmica de Bernard Palissy se compunha, sobretudo, de vasos, estatuetas, fontes, pratos e utensílios diversos aos que denomina" figurinhas rústicas". Seus esmaltes ganharam em seguida uma grande reputação. Em 1546 se converteu ao protestantismo. Mas após a promulgação em 1559 do édito do rei Enrique II contra os protestantes, foi detido em Saintes por heresia e encarcerado em Burdeos. Foi libertado graças à intervenção do duque de Montmorency (Anne de Montmorency) que lhe outorgou o título de "inventor das rústicas figuras do rei”, deste modo, gozaria da proteção dos monarcas. A rainha Catalina de Médici lhe convidou para abrir uma oficina no mesmo Palácio das Tulherias, e lhe encarregou então de diversas realizações, entre outras, uma "gruta renascentista", um capricho por então, muito em voga na Itália. Pronto a oficina de Palissy, ele foi sobrecarregado pelos encargos, e seus dois filhos, Pierre e Mathurin, começaram a trabalhar com ele.



Referências
http://es.wikipedia.org/wiki/Bernard_Palissy 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.