sexta-feira, 5 de julho de 2013

Biografia de Destutt de Tracy


Destutt de Tracy
Antoine-Louis-Claude Destutt, o conde de Tracy. Nasceu em Paris, a 20 de Julho de 1754, e, faleceu também em Paris, a 10 de Março de 1836. O francês Destutt de Tracy, como é conhecido, foi um filósofo, político, soldado e líder da escola filosófica dos Ideólogos. Criou o termo idéologie em 1801, no tempo da Revolução Francesa, com o significado de ciência das idéias, tomando-se idéias no sentido bem amplo de estados de consciência. Militar de carreira, aderiu à Revolução, destacando-se como deputado. Fez parte do grupo dos sensualistas, com orientação no pensamentos de Condorcet. Seus pensamentos republicanos entraram em conflito com os partidários de Bonaparte, que os acusaram de idéologues. Decorrido cerca de uma década da queda da Bastilha, o filósofo francês, exilado em Bruxelas, começou a publicar Eléments D'Idíologie (1801-1815), em 4 volumes, postulando a fundação de um original campo de estudos destinado a formar a base de todas as ciências: a ciência das idéias. O projeto desta ciência era o de tratar as idéias como fenômenos naturais que exprimiam a relação entre o homem, organismo vivo e sensível e o seu meio natural de vida. Assim, para ele, o que o estudo da ideologia possibilitava era o conhecimento da verdadeira natureza humana ao perguntar de onde provinha nossas idéias e como se desenvolviam. Poucos anos depois dessa publicação, o termo ideologia adquiriu uma conotação, eminentemente pejorativa, a ponto do ensino da disciplina Ciência Moral e Política, ser proibida no Institut de France em 1812 por Napoleão Bonaparte, que pragmaticamente preferia a força dos canhões a das palavras, que acusou o autor e outros professores da citada disciplina, de pregarem oposição ao seu governo. Inspirou o positivismo de Auguste Comte e teve como discípulos Stendhal e Sainte-Beuve e morreu em Paris. Defendia a distribuição de poderes, a liberdade política, considerando que esta não pode florescer sem liberdade individual e sem liberdade de imprensa. Destutt era de uma família nobre de origem escocesa, ele era filho de Claude-Louis-Charles Destutt, Marquês de Tracy, militar de carreira morto em 1766, pelos ferimentos recebidos na Batalha de Minden.


Durante a Revolução


Busto de Tracy (escultor David d'Angers).
Coronel do regimento de Penthièvre, Destutt de Tracy foi eleito deputado de Moulins para o États Généraux (Estados Gerais de 1789) pela nobreza de Bourbonnais (ou Burbônia: província histórica central da França que corresponde ao atual departamento de Allier e parte do departamento de Cher). Um dos primeiros de sua ordem à aderir ao Terceiro Estado, e, também um dos mais entusiasmados durante a noite de 4 de Agosto de 1789. Destutt de Tracy dedicou-se à Ciência com o seu amigo Pierre-Jean-Georges Cabanis logo após a dissolução da Assembléia Constituinte. Nomeado Marechal de Campo pelo Marquês de La Fayette (Marie-Joseph Paul Yves Roch Gilbert du Motier) em 1792, retornou a vida civil após 10 de Agosto de 1792, e seu comandante emigrou. Ele foi preso como suspeito, em 2 de Novembro de 1793, e, durante seus 11 meses de prisão, foi introduzido à filosofia sensualista de John Locke e Étienne Bonnot de Condillac, desenvolvendo sua própria doutrina. Ele abordou da liberdade à queda de Robespierre (Maximilien François Marie Isidore de Robespierre).
Observação:Na França do Antigo Regime (Ancien Régime) e durante a Revolução Francesa, os termos Primeiro, Segundoe Terceiro Estadosignificavam: Primeiro Estado – o clero; Segundo Estado – a nobreza; Terceiro Estado – burgueses: camponeses, artesãos, comerciantes e profissionais liberais; moradores dos burgos. Desses termos veio o nome medieval da assembléia nacional francesa: o Estados Gerais (fr. Etats Généraux), análogo Parlamento britânico mas sem tradição constitucional dos poderes parlamentares: a monarquia francesa reinava absoluta.


No âmbito do Diretório


Ele escreveu sua Mémoires sur la faculté de penseret Quels sont les moyens de fonder la morale chez un peuple., ele recusou o comando do Exército Oriental e foi nomeado membro do Conselho de Educação Pública em 1799. Ele defende a definição de “ideologia” como um estudo do pensamento, etimologicamente “ciência das idéias”, rejeitando o termo “psicologia”, que é também uma referência explícita do conceito da alma.


No âmbito do Consulado e do Primeiro Império


Após o 18 de Brumário (o golpe de Estado de 18 de brumário- do calendário revolucionário francês, 9 de Novembro de 1799 - iniciou a ditadura napoleônica na França) , seus amigos da sociedade d'Auteuil, da qual Emmanuel Joseph Sieyès era o chefe, haviam contribuído fortemente, e ele foi nomeado um dos trinta primeiros senadores. Em 1800 ele publicou Observations sur le Système Actuel d'instruction Publique (Observações Sobre o Atual Sistema de Educação Pública). Do Senado conservador, ele foi o líder dos “ideólogos” desprezados por Napoleão I, que, no entanto, ainda era Conde do Império. Além de Destutt de Tracy e Cabanis, a Sociedade dos Ideólogos conta entre seus membros o Conde de Voney e Dominique Joseph Garat. Destutt de Tracy inventou o termo ideologia, que ele considerava como a “ciência das idéias”. Sua obra teve verdadeira influência sobre os filósofos e economistas do século XIX, especialmente Thomas Brown, John Stuart Mill, Herbert Spencer, Hippolyte Taine e Théodule Ribot.


Ideologia


Ideólogo moderno. Ele foi amplamente lido em sua época. Ele quis revolucionar as ciências sociais, ou seja, fornecer para os novos estabelecimentos escolares o
Élémens d'Idéologie
livro básico (Elementos de Ideologia). Ele quis, acima de tudo, desenvolver o conhecimento, base da formação do racional. Ele quis racionalizar tudo. Ele estava em conformidade com Étienne Bonnot de Condillac (1715-1780). Para ele, tudo se baseia nos sentidos (sensações). Devemos separar uma direção única e imaginar a teoria da estátua: suponha um ser humano que desde o seu nascimento foi colocado dentro do gesso ,e , que se desenvolve sem ver o mundo. Alguém que não tem nenhuma sensação, se o fizer se sentir uma flor, ele se imaginará como uma flor. Sua idéia é que nossas construções intelectuais, nossas doutrinas...vêm das nossas sensações. Três partes desta obra: 1 – Ideologia (mobilização de sensações); 2 – Gramática (faculdades intelectuais); Lógica (objetivo contínuo) = reconstruções de conhecimento. Além da audácia do método, ele alcançou conclusões prudentes. Nenhum grande desafio. Nota-se que ele percebeu uma relação entre a linguagem e a estrutura do pensamento de uma sociedade, uma nação. As comparações entre as linguagens permitem uma visão das diferenças entre as sociedades. Seus pensamentos, que não são reflexivos e muito menos genéticos que os de Condillac, que é um modelo de materialismo psicológico muito atento aos excessos da metafísica e aos delírios do inconsciente. Ele também defendia a Fisiocracia: concorrência, o livre comércio... exaltação da agricultura, mas também defendeu as idéias do malthusianismo (t
eoria populacionaldesenvolvida por Thomas Malthus). Ele era um homem de seu tempo. No entanto, Napoleão ficou aborrecido pela criação de todas aquelas escolas, universidades, faculdades etc.


Publicações

M. de Tracy à M. Burke(1785-95).
  • Quels sont les moyens de fonder la morale chez un peuple (1797-98).
  • Analyse de l'Origine de tous les cultes, par le citoyen Dupuis, et de l'abrégé qu'il a donné de cet ouvrage (1799; 1804).
  • Projet d'éléments d'idéologie à l'usage des écoles centrales de la République française (1800).
  • Observations sur le système actuel d'instruction publique (1800).
  • Principes logiques, ou Recueil de faits relatifs à l'intelligence humaine (1817).
  • Traité de la volonté et de ses effets (1818). Réédition: Slatkine, Genève, 1984.
  • Commentaire sur l'Esprit des lois de Montesquieu, par M. le Cte Destutt de Tracy, suivi d'observations inédites de Condorcet sur le 29e livre du même ouvrage, et d'un mémoire sur cette question: quels sont les moyens de fonder la morale d'un peuple, écrit et publié par l'auteur du commentaire de l'Esprit des lois en 1798 (1819). Réédition: Fayard, Paris, 1994.
  • Traité d'économie politique (1822).
  • Élémens d'idéologie (4 volumes, 1825-27). En 4 parties publiées précédemment en 3 volumes séparés: I. Idéologie proprement dite; II. Grammaire; III-IV. De la logique.
  • Mémoire sur la faculté de penser; De la métaphysique de Kant et autres textes, Fayard, Paris, 1992.
  • Lettres à Joseph Rey: 1804-1814, Droz, Genève; Champion, Paris, 2003.
  • De l'amour. Publié pour la première fois en français avec une introduction sur Stendhal et Destutt de Tracy, par Gilbert Chinard (1926). Réédition: J. Vrin, Paris, 2006.


Títulos

  • Marquês de Tracy e seigneur de Paray-le-Frésil (até 1789);
  • Comte Destutt-Tracy et de l'Empire (lettres patentes du 26 avril 1808, Bayonne);
  • Pair de France:
    • Pair «à vie» par l'ordonnance du 4 juin 1814;
    • Comte-pair héréditaire (31 août 1817, lettres patentes du 3 août 1824);


Distinções

Légion d'honneur:
    • Légionnaire (9 vendémiaire an XII : 2 octobre 1803), puis,
    • Commandant de la Légion d'honneur (25 prairial an XII: 14 juin 1804);


Brasões


brasão - 1


brasão -2


Armas do Conde Destutt de Tracy e do Império


-Quartier de sénateur; aux deuxième et troisième d'or au cœur de gueules; au quatrième palé d'or et de sable de six pièces.


-Livrées (uniforme): vermelho, amarelo e preto.
 

Armes du comte Destutt de Tracy, comte-pairhéréditaire

-Écartelé, au 1 et 4 palé de sable et d’or de six pièces (Tracy); au 2 et 3 d’or au cœur de gueules.


Referências





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.