quarta-feira, 26 de junho de 2013

Frei Henrique Soares e a Primeira Missa no Brasil


Primeira Missa no Brasil de Victor Meirelles.
Dom Frei Henrique Soares de Coimbra. (O.F.M.- Ordem dos Frades Menores). Nasceu em Coimbra, cerca de 1465, e, faleceu em Olivença, a 14 de Setembro de 1532. Foi um frade e bispo português. Célebre missionário na Índia e na África, tendo viajado na frota de Pedro Álvares Cabral em 1500. No Brasil é conhecido por ter celebrado a primeira missa no país, em 26 de Abril de 1500. Henrique de Coimbra foi confessor de D. João II e do Convento de Jesus de Setúbal. Foi "observante" em Alenquer, no primeiro Convento Franciscano de Portugal. Na expedição de Pedro Álvares Cabral, Henrique de Coimbra dirigia um grupo de religiosos destinados às missões do Oriente. Já em Calecute, após o descobrimento do Brasil e a viagem até à Índia, cinco dos oito religiosos foram mortos no recontro com muçulmanos, na sequência da traição do Samorim. Face ao fracasso da missão, Henrique de Coimbra regressou a Portugal. D. Manuel I escolheu-o então para bispo de Ceuta, cuja confirmação foi dada pelo papa Júlio II a 30 de Janeiro de 1506. Em 1512, celebrou um acordo com o arcebispo de Braga, D. Diogo de Sousa, que levou à inclusão de Olivença no território do bispado de Ceuta. E foi em Olivença que estabeleceu a sede do seu bispado. Nesta localidade, Henrique de Coimbra construiu os paços episcopais, o tribunal e o aljube, para além da igreja de Santa Maria Madalena, que serviu como sé catedral e é "um dos espécimes mais nobres e mais puros do estilo manuelino" (Reinaldo dos Santos, O Manuelino). Seria neste templo que os restos mortais de Henrique de Coimbra seriam conservados.

Primeira missa no Brasil

A celebração da primeira missa no Brasil foi celebrada por Henrique de Coimbra no dia 26 de Abril de 1500, um domingo, e descrita por Pero Vaz de Caminha na carta que enviou ao rei de Portugal, D. Manuel I (1469-1521), dando conta da chegada ao Brasil, então Ilha de Vera Cruz, pela armada de Pedro Álvares Cabral que se dirigia à Índia.

"Quem sabe desses infantis visitantes guardarão tão profunda impressão do que ali observaram, que ainda um dia virão por ele atraídos fazer parte de nossa comunhão nacional?" Victor Meirelles, apud Peixoto, 1982: 109).

O momento encontra-se retratado em um quadro, A Primeira Missa no Brasil, uma das principais obras de Victor Meireles, pintado em 1860. O dia é ainda marcado como feriado, em Portugal, no município de Belmonte, terra natal de Pedro Álvares Cabral. O quadro foi classificado e exposto no Salon da Academia Francesa de Belas-Artes em 1861.

26 de Abril de 1500

Em 26 de Abril de 1500, Pedro Álvares Cabral avistou a elevação a qual deu o nome de
Litoral de Santa Cruz Cabrália - Bahia.
Monte Pascoal; no dia 24 viajou ao longo da costa, por 10 léguas em direção ao Norte, fundeando no abrigo a que deu o nome de Porto Seguro (atual Santa Cruz Cabrália - Bahia). No domingo da Pascoela, dia 26, Frei Henrique Soares, de Coimbra, rezou a célebre Primeira Missa no ilhéu, hoje chamado da Coroa Vermelha. Isso feito, Cabral mandou de volta a Portugal a nau sob o comando de Gaspar de Lemos, para dar a boa nova da descoberta ao Rei D. Manuel. Tomando posse da terra em nome da Coroa Portuguesa, fez rezar uma missa, ante uma grande cruz plantada nas proximidades do rio atualmente chamado Mutari, o que aconteceu a 1º de Maio. A 2 de Maio, continuou sua viagem, em direção das Índias Orientais. Diz-se, portanto, que houve duas primeiras missas, uma na ilhazinha da Coroa Vermelha e outra no continente, já então assistida por grande número de indígenas que, curiosos, se tinham aproximado dos descobridores. O célebre quadro de Victor Meirelles, intitulado Primeira Missa no Brasil, retrata, na verdade, a “segunda” missa.


Referências:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.