sábado, 11 de agosto de 2012

Biografia de Joseph Addison

Joseph Addison
Joseph Addison. Nasceu em Milston, Inglaterra a 01 de Maio de 1672, faleceu a 17 de Junho de 1719. Moralista, teólogo, latinista, político, poeta e literato inglês. Nasceu em Milston e faleceu em Holland House, Kensington. Iniciou em 1693, aos 20 anos de idade, seu trabalho literário, dedicando a sua primeira produção a Dryden, seguida de uma tradução do IV Canto das Geórgicas. Sua versificação era admirável. Traduziu Ovídio e Heródoto. O valor de suas obras o fez merecedor de uma pensão anual que lhe permitiu viajar pela Europa, completando sua formação cultural. Interveio entre as lutas entre Whigs (literais) e Torys (conservadores), sendo afiliado aos primeiros. Comemorando a vitória de Marlborough em Blenheim, escreveu em versos “A Campanha”. Ocupou destacados cargos políticos e de 1710 a 1719 representou o Distrito de Malmesbury, no Parlamento. Colaborou em vários jornais e combateu as desordens de sua época, provando seu amor pela liberdade. Destaca-se em sua produção: Catão; Cartas de Itália; Rosmunda; O Tambor e Ensaios. Foi enterrado na abadia de Westminster. Liberal, foi membro do Parlamento e secretário de Estado (1717). No semanário The Spectador traçava retratos vivos de humanos, num estilo entre sentimental e humorístico. Deixou importante peça: Catão.

Biografia 

Em Charterhouse foi condiscípulo de Richard Steele, com o qual elevou à perfeição o género do ensaio jornalístico, de que ambos os escritores fizeram cátedra pública de moral e cultura destinada a uma classe média que viria a ocupar o lugar da classe alta, brilhante mas corrompida. Politicamente militou com os whigs, tendo ocupado cargos importantes: membro do parlamento (1708-1719), secretário do residente-geral da Irlanda (1709), secretário de Estado (1717-1718). Em 1704, escreveu The Campaígn, poema épico exaltando a vitória de Marlborough em Blenheim, e em 1713 culminou triunfalmente a sua carreira política com a tragédia Catão (Cato), que agradou ao público devido às idéias liberais expostas e à critica por ajustar-se aos modelos clássicos. No entanto, deve a sua fama aos ensaios que escreveu, publicados em The Tatler (1709-11), The Spectator (1711-14) e, ocasionalmente, em The Guardian (1713).


Citações de Joseph Addison


  • "Tudo o que é novo suscita na imaginação um raro prazer, porque ele enche a alma com uma agradável surpresa, gratifica sua curiosidade e lhe dá uma idéia do que antes não possuía."
- Everything that is new or uncommon raises a pleasure in the imagination, because it fills the soul with an agreeable surprise, gratifies its curiosity, and gives it an idea of which it was not before possessed.
- "The Spectator" (1711-1714); No. 412 (23 de junho de 1712)


  • "A leitura é para o intelecto o que o exercício é para o corpo".
- Reading is to the mind, what exercise is to the body.
- "The Tatler", n. 147


  • "A educação é para a alma o que a escultura é para um bloco de mármore".
- What sculpture is to a block of marble, education is to the human soul.
- "The Spectator (1711-1714)"; No. 215 (6 de novembro de 1711)


  • "As cores falam todas as línguas."
- Colors speak all languages.
- "The Spectator", n. 416, 27 de junho de 1712; "The Works of Joseph Addison: Complete in Three Volumes : Embracing the Whole of the "Spectator," "&c; Por Joseph Addison; Publicado por Harper & Brothers, 1837 books.google


  • "A natureza delicia-se na comida mais simples. Todos os animais, exceto o homem, comem um só prato.
- Nature delights in the most plain and simple diet. Every animal but man keeps to one dish.
- The Spectator, with illustrative notes: to which are prefixed, the lives of authors : comprehending, Addison, Steele, Parnell, Hughes, Buegel, Eusden, Tickell, and Pope : with critical remarks about their writings, Volume 3, Página 343, Joseph Addison, Sir Richard Steele - Printed for H.D. Symonds, T. Hurst, J. Walker, J. Scatcherd, A. and J. Black and H. Parry, Vernor and Hood, R. Lea, E. Lloyd, Otridge and Son, J Cuthell, Jordan Hookham, W. Miller, S. Bagster, R. Ryan, and R.H. Westley, 1794


  • "Felicidade é alguém para amar, algo para fazer e algo para aspirar."
- citado em "Frases Geniais" - Página 13, de PAULO BUCHSBAUM - Editora Ediouro Publicações, ISBN 8500015330, 9788500015335
  
Referências
http://pt.wikipedia.org/wiki/Joseph_Addison

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.