sábado, 11 de agosto de 2012

Biografia de Konrad Adenauer

Konrad Adenauer
Konrad Adenauer. Nasceu em Colônia, Alemanha, a 05 de Janeiro de 1876, e, faleceu em Bad Honnef, a 16 de Abril de 1967. Ex-Presidente da Alemanha Ocidental, nascido em Colônia. Formou-se em advocacia. Foi eleito conselheiro municipal de sua cidade natal em 1906. Onze anos depois foi escolhido para prefeito de Colônia, cargo que ocupou ininterruptamente durante 16 anos. Durante a 2ª guerra, foi preso em campo de concentração. Em Fevereiro de 1946, foi eleito Presidente da União Democrática Cristã do Reno-Westfália. Em Setembro de 1949, foi nomeado como Chanceler. Em 1953, foi reeleito, obtendo um terceiro período de governo; em 1957, o seu partido obteve mais de 50% de votos. A obra de Adenauer, nos anos em que dirigiu a Alemanha Ocidental, pode ser considerada extraordinária. Transformou o país, de um montão de ruínas, num dos mais prósperos do mundo. Contou para isso com excelentes colaboradores e dirigiu um povo notável pela sua capacidade de aplicação ao trabalho, mas não pode ser subestimada a sua participação pessoal, nessa tarefa que muitos classificaram de “milagrosa”. Foi substituído de seu posto por Ludwig Erhard, um de seus melhores colaboradores, através de eleições democráticas. Adenauer faleceu no dia 16 de Abril de 1967, sendo enterrado no dia 26 do mesmo mês, no cemitério Rhobndors, em sua província natal. (APSF).

História

Adenauerplatz, Berlin-Charlottenburg.
Adenauer tinha 73 anos quando, em 1949, foi eleito como primeiro chanceler da Alemanha Ocidental (República Federal da Alemanha) entre 1949 e 1963, logo depois que o país havia sido formado, no fim da Segunda Guerra Mundial. Foi reeleito em 1953, 1957 e 1961, e renunciou ao cargo em 1963, aos 87 anos de idade. Nascido em 5 de Janeiro em Colônia, Adenauer estudou em várias universidades até se graduar em direito, foi prefeito de Colônia entre 1917 e 1933 e membro do poder legislativo. Como católico da época, fez oposição ao nazismo e, com o advento de Adolf Hitler ao poder, foi expulso de seu cargo político e obrigado a se aposentar. Com a iminência do fim da Segunda Guerra Mundial, em 1944, Adenauer foi mandado para um campo de concentração e foi libertado quando as tropas aliadas invadiram a Alemanha. Em 1945, participou na fundação da União Democrata-Cristã (CDU) e assumiu a presidência da liga na zona de ocupação britânica. Com o estabelecimento da Alemanha ocidental, em 1949, Adenauer assumiu o cargo de primeiro chanceler. Por 14 anos, liderou a coligação entre a União Democrata-Cristã (CDU), o seu partido-irmão da Baviera, União Social Cristã (CSU), e os Democratas Livres, o partido liberal alemão (FDP). Entre 1951 e 1955 também serviu como ministro para assuntos exteriores da Alemanha Ocidental. No exercício de sua função de chanceler da Alemanha, Konrad Adenauer visou a três objetivos essenciais: conduzir o povo alemão para uma situação autêntica de liberdade, inserir o país numa comunidade pacifista de Estados livres, e incentivar junto com os líderes da França e da Itália a integração europeia. Durante o seu governo, a Alemanha adotou o regime democrático e teve início um desenvolvimento econômico com bem-estar e equilíbrio social. Adenauer tinha um grande objetivo: estabelecer a Alemanha Ocidental como uma proteção para conter a expansão dos soviéticos na Europa. Assim, ele promoveu um estreitamento nas relações com os Estados Unidos e se reconciliou com a França. Foi durante o mandato de Adenauer que a Alemanha Ocidental passou a integrar o Organização do Tratado do Atlântico Norte e passou a ser reconhecida como uma nação independente. Ao lado de outros políticos, Konrad Adenauer criou na Alemanha uma tradição democrata-cristã. Foi co-fundador do partido da União Democrática Cristã da Alemanha (CDU) e marcou profundamente o recomeço na história dos partidos políticos alemães, influenciando fortemente a orientação política deste novo partido popular, que agrupou homens e mulheres de todas as camadas da sociedade, provindos de todas as tradições democráticas - conservadores, liberais e social-cristãos, católicos e protestantes. A visão política de Konrad Adenauer era a de uma Alemanha livre e unificada, dentro de uma Europa livre e integrada. A sua meta consistia em chegar a um novo ordenamento europeu, com liberdade e democracia e, para além disso, em aproximar o mundo de uma cooperação de alcance global. A 24 de Janeiro de 1956 foi agraciado com a
Túmulo em Bonn-Rhöndorf.
Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito e a 15 de Outubro de 1963 com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo de Portugal. Adenauer aposentou-se em 1963, após concluir um tratado - que havia perseguido durante anos - de cooperação com a França e continuou no parlamento. Quando ele deixou esse cargo, em 1963, havia realizado uma obra histórica: a reconstrução da Alemanha após a Segunda Guerra Mundial, a consolidação da democracia e a inserção de seu país na comunidade dos países livres. Morreu em 19 de Abril de 1967 em Bad Honnef.

Citações

-"A história é a soma das coisas que poderiam ter sido evitadas".
-"Vivemos todos sob o mesmo céu, mas nem todos temos os mesmos horizontes."
- Wir leben zwar alle unter einem Himmel, aber wir haben nicht alle den gleichen Horizont!
- citado em "Anekdoten um Konrad Adenauer‎" - Página 45, de Daniela Krein - Publicado por Kemper, 1960 - 115 páginas
-"É uma pena que o limite da inteligência humana não seja proporcional ao da sua estupidez".
- Ist es nicht schrecklich, dass der menschlichen Klugheit so enge Grenzen gesetzt sind und der menschlichen Dummheit überhaupt keine?
- citado em "Harenberg Lexikon der Sprichwörter& Zitate: Mit 50000 Einträgen das ...‎" -Página 201, de Brigitte Beier, Matthias Herkt, Bernhard Pollmann - Publicado por Harenberg, 1997, ISBN 3611006114, 97836110061111997 - 1600 páginas.


Referências

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.