quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Biografia de John Logie Baird


Busto de Baird, por Donald Gilbert
em 1943. (Imagem: Paul McIlroy).
John Logie Baird. Nasceu a 14 de Agosto de 1888 e faleceu a 14 de Junho de 1946. Inventor escocês, que é considerado como um dos pioneiros da televisão, e, mais tarde, o noctovisor (aparelho que permite enxergar no escuro). Baird nasceu no dia 13 de Agosto de 1888 na cidade de Helensburgh, próxima a Glasgow. Filho de obscuro pastor presbiteriano, quando criança foi extremamente fraco e doente (males que o acompanharam até à morte). Como não podia tomar parte nas competições esportivas, desde menino dedicou-se à leitura. Assim, já no tempo dos seus estudos no Royal Technical College e na Universidade de Glasgow, começou a realizar experiências com o telégrafo-visor, anteriormente utilizado por outros pesquisadores. No entanto,todas as pesquisas desenvolvidas até ali haviam sido interrompidas por inadequação das células fotoelétricas de selênio, pois as transformações de corrente, nelas processadas, pela aço da luz, eram tão pequenas que não podiam ser empregadas sem o auxílio de um amplificador, aparelho que ainda não havia sido inventado. Em 1915, o cientista francês G. Ferrié produziu um tubo que podia amplificar um impulso elétrico 100 milhões de vezes. Assim a fraca corrente produzida pelas células fotoelétricas de selênio podia ser amplificada. Valendo-se do mais primitivo equipamento, Baird produziu um sistema completo de televisão. Empregou um caixote de chá e uma caixa de chapéu da qual recortou um disco de papelão (Baird baseou-se nos trabalhos de Nipkow). Cortou, posteriormente, um disco de latão, montando-o sobre o eixo de um ventilador elétrico. A sua lente de projeção era a de um farol arredondado, comprada numa loja de bicicletas. Com célula de selênio, lâmpada de neônio, válvulas de rádio e transformadores, transmitiu a sombra de uma cruz de malta à distância de 60cm. Em Junho de 1927, Baird transmitiu de Londres para Glasgow e, em Fevereiro de 1928, de Londres para Nova York. Nessa época, iniciou seus estudos sobre a televisão a cores e tridimensional. (APSF).

Biografia

John Logie Baird nasceu a 14 de Agosto de 1888 em Helensburgh na costa oeste da Escócia. John era filho de um clérigo e teve problemas de saúde durante a maior parte da sua vida. Os seus estudos em Glasgow foram interrompidos pela Primeira Guerra Mundial. Rejeitado como incapaz para o exército, atuou como um engenheiro superintendente de Clyde Valley Electrical Power Company. Quando a guerra terminou ele estabeleceu-se em negócios, com resultados variados. Em seguida Jonh mudou para o sul da Inglaterra e aplicou-se na tentativa de construir uma televisão, um sonho de muitos inventores há vários anos. John começou a fazer experiências para tentar criar uma televisão durante a década de 20, apesar de ter estado algo doente. Finalmente conseguiu em 1924 numa casa no Soho onde enviou uma imagem televisionada a alguns metros de distância. Em 26 de Janeiro de 1926 Jonh deu a primeira demonstração duma verdadeira televisão diante de 50 cientistas. Em 1927, demonstrou pela primeira vez a televisão a 438 milhas (700 quilômetros) de distância através da linha telefônica entre Glagow e Londres e formou a Baird Television Development Company (BTDC). No ano seguinte a sua empresa fez a primeira transmissão transatlântica entre Londres e Nova Iorque e a primeira transmissão até um navio no meio do Atlântico. Em 1929, os Correios Alemães deram lhe as facilidades para desenvolver um sistema de televisão baseado no sistema mecânico por ele inventado, o único existente até à altura. Em 1930, som e imagem começaram a ser enviados em conjunto, inicialmente eram enviados alternadamente. No entanto, os sistemas mecânicos inventados por Baird rapidamente se tornaram obsoletos, pois foram rapidamente desenvolvidos por Marconi nos Estados Unidos. Embora tivesse investido mais em sistemas mecânicos, a fim de alcançar os primeiros resultados, Baird teve também explorando sistemas eletrônicos em uma fase inicial. Nessas alturas, um comitê de investigação da BBC, em 1935, pôs lado a lado o sistema de televisão de Baird, e a de Marconi (totalmente eletrônica), que trabalhou em 405 linhas contra as 240 de Baird. Baird morreu em 14 de Junho de 1946 em Bexhill-on-Sea em Sussex. 


Experimentos com a televisão


O desenvolvimento da televisão foi o resultado do trabalho de muitos inventores. Entre eles, Baird foi um pioneiro proeminente e responsável pelos melhores avanços. Particularmente na Grã-Bretanha, muitos historiadores creditam à Baird como o primeiro ao vivo, em movimento, a imagem de televisão em tons de cinza da luz refletida. Baird alcançou isso, onde outros inventores haviam falhado: obteve uma célula fotoelétrica melhor e melhorou o condicionamento de sinal desta célula, e, também melhorou o amplificador de vídeo. Entre 1902 e 1907, Arthur Korn inventou e construiu com sucesso o primeiro circuito de condicionamento de sinal para transmissão de imagem. Os circuitos superaram a imagem, destruindo o efeito de atraso que faz parte das fotocélulas de selênio. O circuito de compensação de Korn permitia enviar imagens pelo telefone ou via rádio entre os países e até mesmo sobre os oceanos, enquanto o circuito de Baird operava sem os benefícios da amplificação eletrônica. O sucesso de Korn na transmissão de retícula de imagens estáticas, sugeriu que tais circuitos pudessem funcionar para a televisão. Baird foi o beneficiário direto da pesquisa e do sucesso de Korn. Em suas primeiras tentativas de desenvolver um sistema de televisão, Baird fez experiências com o disco de Nipkow. Paul Nipkow havia inventado esse sistema de varredura de disco em 1884. o historiador da televisão Albert Abramson chama a patente de Nipkow de “a patente mestre da televisão”. O trabalho de Nipkow é importante porque Baird e muitos outros optaram por desenvolvê-lo para um meio de transmissão. No início de 1923, e já com a saúde debilitada, Baird muda-se para 21 Linton Crescent, Hastings, na costa sul da Inglaterra e depois alugou uma oficina na Queen's Arcade na cidade. Baird construiu o que viria a ser o primeiro aparelho de televisão do mundo utilizando de itens como uma velha caixa de chapéu, um par de tesouras, algumas agulhas de tricô, algumas lentes de lanternas de bicicletas, uma caixa de chá usada, uma cera de selagem (lacre) e cola que ele comprou. Em Fevereiro de 1924, ele demonstrou para a Radio Times que num sistema de televisão analógica semi-mecânico era possível transmitir imagens em movimento. Em Julho deste mesmo ano, ele recebeu um choque elétrico de 1000 volts, mas sobreviveu, tendo apenas uma mão queimada. O proprietário do imóvel, o Sr. Tree, pediu-lhe para que fechasse a oficina, então ele se mudou para as salas do andar de cima em Soho, Londres, onde ele fez um grande avanço técnico. Baird fez a primeira demonstração pública de imagens em movimento pela televisão na loja de departamentos Selfridges, em Londres, numa série de três semanas de demonstrações que começaram em 25 de Março de 1925. No seu laboratório em 2 de Outubro de 1925, transmitiu com sucesso a primeira imagem televisiva em tons de cinza: a cabeça de um boneco ventríloquo apelidado de Stooky Bill, numa imagem digitalizada com 30 linhas verticais, de cinco fotos por segundo. Baird então desceu as escadas e foi buscar um funcionário do escritório, o jovem William Edward Taynton, de apenas 20 anos de idade, para ver se com um rosto humano seria semelhante, e Taynton acabou se tornando a primeira pessoa a ser televisionada numa gama de tons completa. Procurando por publicidade, Baird visitou o jornal Daily Express para promover a sua invenção. O editor ficou apavorado, ele ordenou à um de seus funcionários, dizendo: "Pelo amor de Deus, desce na recepção e se livra de um lunático que está lá em baixo. Ele diz que tem uma máquina para ver via rádio! Fiquem atentos - Ele pode estar com uma navalha!"


Outras invenções

Em 1928, ele desenvolveu inicialmente um dispositivo de gravação de vídeo, que ele apelidou de Phonovision. Outros desenvolvimentos de Baird estavam ligados
Busto de Baird by Donald Gilbert (1943), em The Promenade at Helensburgh. (Imagem: Bill Jarvie).
à fibra óptica, radiogoniometria, visão noturna infravermelha e radar. Há uma discussão sobre a sua exata contribuição para o desenvolvimento do radar, pelos seus projetos de defesa durante a guerra que nunca foram oficialmente reconhecidos pelo governo do Reino Unido. De acordo com Malcolm Baird, seu filho, o que se sabe é que, em 1926, Baird arquivou uma patente de um dispositivo que formava imagens das ondas de rádio refletidas, um dispositivo muito semelhante ao radar, e que ele estava em correspondência com o governo britânico na época. A contribuição da invenção do radar está em disputa. De acordo com alguns especialistas, o "noctovision" de Baird não é um radar. Ao contrário do radar (exceto o radar Doppler), o Noctovision é incapaz de determinar a distância do objeto escaneado. O Noctovision também não é capaz de determinar as coordenadas do objeto no espaço tridimensional.


Últimos anos


De Dezembro de 1944 até a sua morte, dois anos depois, Baird viveu em sua casa em Station Road, Bexhill-on-Sea, Sussex Oriental, logo ao norte da própria estação. Baird morreu em Bexhill em 14 de Junho de 1946, depois de um acidente vascular cerebral, em Fevereiro do mesmo ano. A casa antiga foi demolida em 2007. O Sea Road-Estação Rodoviária horizonte agora possui um novo bloco de 51 apartamentos no local, rebatizado de "Baird Court". John Logie Baird está sepultado com o seu pai, mãe e esposa no Helensburgh Cemetery.



Referências:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.