quarta-feira, 1 de agosto de 2012

A origem do uso de bigode

Sir Claude Macdonald, um diplomata britânico, possuía um bigode pouco convencional.
O Uso do Bigode: Contam os historiadores que ao tempo de Tibério, em cujo governo Cristo foi crucificado, mais se robusteceram as perseguições contra os cristãos, que eram levados impiedosamente à arena dos Coliseus para aí servirem de repasto às feras. Otávio (Augusto) que, durante 45 anos, havia governado Roma, pela bondade e grande inteligência administrativa, concorreu para o fortalecimento das hostes cristãs. Tibério, por ódio à política de Otávio, decidiu esfacelar os chamados “soldados da fé” que apoiavam as massas na pregação contra os incrédulos de Roma. Desencadeou-se tremenda luta. A morte de Cristo em Jerusalém havia estimulado os fieis para a guerra contra os exércitos de Tibério. O ditador, então, querendo por à prova a fé dos cristãos, em desafio à coragem dos adeptos de Cristo, ordenou que eles saíssem à rua com uma cruz estampada na face. Por iniciativa dos mais exaltados, apareceram eles diante dos soldados com bigodes e uma pêra à semelhança de uma cruz. Era o símbolo da fé. O costume generalizou-se em Roma.

Bigode é o conjunto de pelos faciais, localizados entre o nariz e o lábio superior e é comum ser preservado por alguns homens junto ou não de uma barba. Também ocorre em mulheres que, em sua maioria, optam por eliminá-los. Historicamente, pode dizer-se que o bigode é um traço facial que tende a identificar diferentes culturas. Na sociedade ocidental o bigode caiu em desuso nas últimas décadas, sendo substituído por uma crescente exigência de limpeza visual. Não é despropositado dizer que a sociedade global associa o bigode a alguns fenômenos sociais que não dependem da geografia. Teve grande importância na sociedade do século XIX e primeira metade do século XX. A utilização demonstrava ostentação socioeconômica e tinha uso quase que obrigatório entre os homens de grande importância no período acima citado.

Estilos de bigodes (imagens: Mushon Zer-Aviv, Yanka).

Chevron

Dali

English

Freestyle

Fu Manchu

Handlebar

Horseshoe

Imperial

Mexican

Natural

Pencil

Toothbrush



Etimologia
 
Os enormes bigodes que os germanos costumavam usar na Idade Média chamaram a atenção dos habitantes da Península Ibérica, como também os juramentos e as imprecações que aqueles bárbaros proferiam. Com inusitada frequência, os germanos exclamavam ‘bei Gott’, ‘por Deus!’ Mais que um juramento, era uma mera interjeição. Sem entender o que aquelas palavras significavam, os ibéricos começaram a chamar ‘bigod’ os homens bigodudos até que, com o tempo, a palavra já aportuguesada como bigode passou a designar o apêndice peludo. Muitos acreditam que bigode chegou a nossa língua durante o Império de Carlos V da Alemanha (Carlos I da Espanha), com o forte contingente germânico que entrou nessa época na Península. Embora a etimologia pareça suficientemente comprovada, não é certo que tenham sido os germânicos que trouxeram a palavra. Carlos V governou o Império em começos do século XVI e no século XII, na França, já se chamavam bigod os normandos. Daí surgiu a dúvida sobre se este termo foi trazida pelos germanos ou pelos franceses.

Referências
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.