sexta-feira, 10 de agosto de 2012

A origem do Preservativo (camisinha)


Preservativo. No século XVI, o anatomista italiano Gabrielle Fallopius recomendava um incomodo saquinho feito de linho e amarrado com um laço, provavelmente utilizado para evitar doenças venéreas. Um século depois, um médico inglês conhecido como Dr. Condom (Quondam), resolveu criar um protetor feito com tripa de animais para o rei Carlos II, a fim de evitar o nascimento de tantos filhos ilegítimos. Em 1939, com a descoberta do processo da vulcanização da borracha, os preservativos passaram a ser fabricados com esse material e ficaram elásticos. A pílula anticoncepcional só foi inventada em 1951. Atribui-se ao povo grego o uso de bexigas natatórias de peixes e o uso feminino de bexiga de animais. Na Idade Média, entre fórmulas que incluíam partes sexuais, urina e excremento de animais, o modo supersticioso de contracepção avançava para o uso de um preservativo de linho envoltório, por vezes embebido em substâncias ditas medicinais. Os chineses usavam um envoltório feito com papel de seda untado com óleos. Há relatos de preservativos femininos feitos de vegetais. Nos séculos XV e XVI, a sífilis era um problema que atemorizava o Velho e o Novo Mundo, quando Gabrielle Fallopio, que descreveu as trompas femininas, realizou o primeiro teste clínico com um preservativo feito de linho e tratado com ervas para prevenir a doença, surgindo daí o nome "camisa de vênus", ou "luva de vênus". Um século depois, um médico inglês - conhecido como Dr. Condom - resolveu criar um protetor feito com tripa de animais para o rei Carlos II de Inglaterra, a fim de evitar o nascimento de tantos filhos ilegítimos (No entanto não há qualquer evidência de que tal médico tenha realmente existido). No século XVII, um artesão desenvolveu preservativos a partir intestino de carneiro, que funcionavam como uma segunda pele. Produzida em escala industrial (1780), a França, famosa por seus prostíbulos, passou a exportar o produto. Em 1870 surgiram os primeiros preservativos de borracha natural. Entretanto, eram incômodos e não descartáveis. O preservativo de látex é uma invenção americana que se popularizou em 1930. A partir dos anos 1960, perde terreno para a pílula anticoncepcional e medicamentos de combate a maioria das doenças venéreas. O advento da AIDS reabilitou o uso das camisinhas. Em 1839, o americano Charles Goodyear descobriu o processo de vulcanização da borracha tornando-a mais maleável e resistente, porém somente em 1870 o preservativo de látex passou a ser fabricada em série.

Referências:

APSF

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.